A CULPA É TODA MINHA! - Adolescência Alternativa

A CULPA É TODA MINHA!

 Fazia 33°C no dia em que fui vista pela última vez.
 Fui na casa da minha melhor amiga para comemorar o m,eu aniversário de 12 anos que havia sido no dia anterior. Corremos a tarde toda, a mãe dela fez uma festa só para nós duas. Foi o melhor dia da minha vida.
 Já era noite quando tentei ligar para o papai vir me buscar, mas ninguém atendeu. Decidi então que ia para casa sozinha, afinal, era só há algumas quadras dali e eu já era uma mocinha.
 Não havia ninguém na rua, nenhum carro, nenhum ruído, nada. Comecei a me sentir estranha. Acabei entrando em um atalho, uma rua mais estreita e escura que as outras, foi aí que os passos começaram.
 Olhei para trás e vi uma sombra, apressei meu passo mas era inútil, minhas pernas eram curtas e ele tinha o dobro do meu tamanho. Na hora não entendi bem o porquê, mas meu impulso foi correr, infelizmente, o dele também foi. Senti um aperto no meu braço e fui jogada contra um muro, senti um sussurro de leve no meu ouvido pedindo o que aquela "novinha" estava fazendo ali sozinha. Tentei me soltar e ele me bateu, a última coisa que me lembro é da minha saia sendo levantada, então tudo escureceu.
 Eu devia ter ficado em casa, esperando meu pai, a culpa é toda minha. Não devia ter usado aquele vestido que ganhei, ele era tão curto... Mas estava tão calor... Chega! Sem desculpas! Eu devia ter sido uma menina melhor.

Shanaik Casas